Página Inicial Youtube Twitter Facebook

16/03/2018: A crueldade dos paradoxos

Se você vê as tardes de ouro

e as manhãs cálidas a sorrir

e todos os fenômenos do mundo

dignos de sua vontade de servir

 

deves ser muito medo das frustrações

a fina agulha que penetra insensível

em seus fundos recônditos das monções

que sempre o levam ao bem imperceptível

 

em nossa terra o bem só poderia interessar

àquele que o faz e sempre o dissimula

há poucos que na praia agradeçam ao mar

 

sob esse ethos do bruto e do paradoxo

continues como és, pois sois os sóis

mas sem esperar que não o lancem ao lixo.

  

Amadeu Garrido de Paula, é Advogado, sócio do Escritório Garrido de Paula Advogados.