Página Inicial Youtube Twitter Facebook

07/11/2017: Meios-beijos

Bondosa e suavemente cobriam meus lábios

Expressavam a lídima mensagem: um dia há de ser.

Incautamente como todos, salvo os sábios

Apressei meus passos, temoroso do entardecer.

 

Foi-se tudo, o que era bom e suave e me elevava

Há o tempo, amigo e inimigo, que relutamos em ver

Os meios-beijos foram-se e meu ser que se abrasava

Tornou-se solidão a gerar elucubrações de enlouquecer.

 

Ficou, como de hábito, a memória da construção,

A experiência que nos faz mais homens e as fêmeas

capazes professoras de nosso coração.

 

Quando nossos lábios forem cobertos, não pelo incenso fatal,

mas pelas luzes do sol da manhã e das futuras estrelas,

de uma mulher que planta uvas, espere-as amadurecer no parreiral.                                                                       

 

Amadeu Roberto Garrido de Paula, é Advogado, sócio do Escritório Garrido de Paula Advogados.